quarta-feira, 7 de julho de 2010

Tán hermosa


O teu corpo vê,
mas não a tua mão.
De ponta a ponta
com a fúria encarcerada
num olhar incolor
Instala uma ferida
sobre a minha sina,
Que restauro com arnica.

Como quem sobe a duna e admira
a demora do sol sobre os seios,
Eu soube não indagar se era uma aposta,
O meu palco a sua veste entreaberta.

No momento máximo de não estar acordado
Dorme sonâmbulo
o suor com a sua claridade.

O meu holofote que apreendo
passado um certo tempo
Um ensaio partido ao meio
– Enquanto passeio
pelos livros, letras se despem
e viram folhas –
Como veias abertas:
meus anseios.



Imagem- Renoir (girl sleeping)

13 comentários:

Madalena Barranco disse...

Tere, seu blog já era um encanto, mas agora, está enfeitiçante!! Você materializou a tela pintada por trás das palavras, assim como sempre faz com sua poesia... "Tan hermosa" é como um carinho so Sol na pele do leitor.

Beijos, querida,
Madá

Djabal disse...

Lia outro dia a definição do amor romântico, da paixão em oposição ao amor moderno, desejo estilhaçado. E definia o primeiro com uma doença, algo de que não há salvação, nem condenação, que nos atinge, sem que queiramos. Um artigo longo, dando exemplos, mostrando autores e coisa e tal. Ao ler a sua poesia, a coisa de desencanta e todos ficamos sabendo de maneira musical e com belas imagens deste sentimento sem cura. Parabéns pela autoria, e obrigado pela partilha. Felicidades, sempre.

Rosemari disse...

Tere

A leitura de Tán Hermosa provoca uma sensação instigante entre o desejo de transformar letras em palavras e pincelar o palco com as vestes entreabertas.
Parabéns amiga , cada vez melhor.

beijos

ROse

antes blog do que nunca! disse...

Querida Tere,

é um prazer perceber a tua sensibilidade poética. Conjugar os sentidos do nosso ser com a arte de exultar o belo, é algo que fazes com mestria e determinação. Bem hajas!

1 Bj*
Luísa

luís filipe pereira disse...

"Um ensaio partido ao meio
– Enquanto passeio
pelos livros, letras se despem
e viram folhas –
Como veias abertas:
meus anseios." belíssimos versos como anel de fecho e de lume deste poema intenso, que nos toca pelo modo como a construção é pontilhada de lugares de permeio, lugares de entre-dois, em que o desejo assoma por entre a circularidade de tempos sobrepostos.
com admiração,
filipe

Tere Tavares disse...

Madá,
amiga de entre-tantos fantásticos momentos - bem-vinda és - a bruxauva me contou que andas a afinar novíssimas receitas!

Djabal,
Erwin amigo,o que sobressai é mesmo parte dessse "ente" que nos habita, inviolavelmente. Dá miríades artigos. E também versos.

Rose,
A tua leitura é sempre benigna.

Luísa,
Exultemos pois! Arte e sentimento, ao que parece, são indissociáveis.

Luis Felipe,
Estou quase a compreender, sem saber nada, como a música se faz ...algo que inspira e respira tons - a várias vozes. Ecos bem-vindos os teus.

Agradeço a todos, a presença, leitura e comentários. Com meu melhor abraço.
TT

neo-orkuteiro disse...

Que formoso este seu poema, Terê.
Assim na arte como na vida, agrada-me bem mais o componente erótico quando nele há algo implicitado ou só discretamente insinuado, isso independentemente da beleza intrínseca da coisa.
Com seu "Tán hermosa", você exemplifica perfeitamente isto que digo. Não dá pra não gostar.

Ricardo Calmon disse...

Despertar em madruga essa e sorver versos teus,magia pura é!

Viva La Vida

Tere Tavares disse...

João,
Sutileza é também arte, e tu dissertaste-a exemplarmente.

Ricardo,
Que seja assim; magia de ler.

Abraço amigos

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Querida Tere
Magnífico!
Quem dera que mais e mais pessoas ousassem a ler e escrever.
Ainda, permitir que a arte, seja ela de que forma tomasse e inscrevesse a vida.
Suas escritas me fascinam.
Um abraço e grata pela mensagem em meu Blog.
Agora estarei com mais tempo e disposição para me manter mais ativa na leitura e escrita.

beijos

Ramosforest.Environment disse...

Sonhos, êxtase, anseios.
Pura Poesia.
Luiz Ramos

Tere Tavares disse...

Salete,
Aprecio teu blog e tua presença.
Grande beijo

Luiz
Assim é. Felicidades, sempre.

Docecomomel(hgata) disse...

Encontrei este espaço e achei que es
tava em um mundo encantado.Teus escritos passam um aurea de Paz.Tenha um Feliz ano novo.Escrevo alguns contos ,mas são eróticos longe de mim chegar a qualidade deste iluminado blog.Paz e saúde Docecomomel(hgata)