sábado, 21 de junho de 2008

Logro

Aprumo algumas alterações
da percepção,
Engano a mente e o sonho
com qualidades dignas de louvor.

Sou o próximo fidalgo
em que se depositará toda fé
De uma fábula nascida
em minha alma aparente.

Meu paraíso é fictício,
porém, é meu itinerário,
meu adorno
de tornar-me confiante.


(poema do livro Meus Outros)

3 comentários:

Lu Cavichioli disse...

LOGRO

Lu Cavichioli disse...

Poema forte, bem delineado. Expressivo momento interno, é assim que sinto alguns de teus escritos querida.

Chegam de leve, como tua pintura.

Te abraço

Renato Torres disse...

tere,

tão nossa essa função de "agregar territórios" (a função do "autor" como o diz Ortega y Gasset) que nem nos damos conta por vezes de como o fazemos naturalmente em cada linha que escrevemos. e jamais será um malogro tornar essa fala pública, e ouvir-lhes os ecos possíveis.

beijos, e saudades,

r