sábado, 29 de março de 2008

Resenha do Livro Meus Outros por Madalena Barranco

Publico, na íntegra, o presente que recebi da amiga “Madalena Barranco, escritora paulistana, graduada em Letras, tradutora de espanhol. Escreve prosa & poesia, temperadas com fantasia, sempre em busca do legítimo gênero “histórias de fadas”. Dedica sua produção aos leitores dos 8 aos 108 anos, pela manutenção da fantasia na literatura”.
É como ela se apresenta nos sítios que freqüenta. Acrescento: Magalena, Magalinda, Madá... é portadora de uma delicadeza e afabilidade que a todos conquista. Tenho orgulho de estar sempre próxima e desfrutar da amizade desta talentosa artífice das palavras.
Por Madalena Barranco:

Resenha Meus Outros, Tere Tavares 19/03/2008.
Em seu distinto estilo poético a autora plasma o Impressionismo (escola de pintura do fim do séc. XIX e que influenciou a pintura dos próximos séculos), que também lhe inspira as artes plásticas através de suas pinturas em quadros, perfeitamente em seus poemas escritos. Algo que é visível quando se lê a impressão visual produzida, que a poetisa capturou da natureza. Algumas vezes, sutis toques de Simbolismo (escola literária do fim do séc. XIX) em seus versos, denotam a preocupação em manter a estética do conteúdo inserida em uma paisagem.
Tere Tavares enriquece sua poesia com momentos profundos de originais e metafóricos versos entremeados com páginas de prosa poética. A combinação das palavras transformam-se em indeléveis pinturas do Contemporâneo, que ora viceja na próxima época cultural da humanidade.
Neste verso, obtém-se uma visão clara do efeito da poesia de Tere: “-Enquanto passeio pelos livros letras se despem e viram folhas – Como veias abertas: meus anseios.” O que leva o leitor a compreender uma das principais mensagens do livro de poemas, nestes outros versos, que é: “-Talvez eu me sentisse como se depois de grande eu fosse ler o pequeno-príncipe”. E eu acrescento: - o pequeno príncipe inserido com liberdade em uma pintura, que lhe mostrasse livremente os sentimentos expostos ao vento das quatro estações.
Nos seguintes versos, um exemplo da poesia de Tere Tavares:
Galáxias
Porque as flores me escolhem acolhedora de flores.
Se relembrar este meio desencontrasse o veio,
o contraste de ver abatido o meu não obtido.
Se do firmamento firmasse só um verso que fosse,
um ai minúsculo, como se ópios caíssem
do que ouço de um exílio numa cascata de primaveras.
Porque as flores nutrem beija-flores.
Minhas observações: Entre paisagens vivas e naturezas mortas, poetadas em nuanças que vão de uma dimensão à outra e de verso em verso, a poetisa desfia e até desafia os enigmas das impressões conscientes ou não da alma humana, através de seus “eus”.
Visitem o blog da Madalena aqui http://flordemorango.blogspot.com/onde consta sua produção de prosas e poesias.

2 comentários:

Madalena Barranco disse...

Tere, queridíssima amiga... Obrigada por ter gostado de minhas palavras movidas pelo encantamento que seu livro me produziu. Beijos felizes.

Lu Cavichioli disse...

Eu achei um primor essa resenha. Já tinha lido em outra ocasião. A Magalinda descreve lindamente e com inteligência, os momentos florais em pincéis de Tere.

Sinceramente? Tenho orgulho em ter amigas como vocês! Talento e amabilidade traduzem as duas.

Beijo duplo!