segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Antologia Blocos On Line - Mares, Lágrimas e Outras Águas



Entardecer na cobertura


para ariel tavares


o vento sopra nas coroas das palmeiras
o sal do mar se infiltra em todos os lugares
da pele à raiz dos cabelos

a noite diz boa noite mas não promete ser boa

haverá ressaca e a maré alta trará consigo
tudo o que puder arrebanhar

o braço da maré não é feito de moliços
nem de ossos
é feito da força líquida e invencível das gotas

o vento alucinante prospera
e a lua sopra suas mantas prateadas
então sobre as areias antes brancas
há manchas
nuanças de breu
daqui de cima não vejo tudo
embora escute o que imagino
o que me diz esse eu
desdizente

para ti, minha bela flor de caracóis
sob o teu regaço de moça
o sargaço dessa mãe
extrema e nunca ausente
que te sente
porque te ama.
Tela da Autora -Praia do Coqueirinho-2010
Nota: este, entre outros poemas integram a Antologia 
Saciedade dos Poetas Vivos Digital - Vol.11
do Portal Blocos On line. Para leitura do livro basta acessar:
http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia/obrasdigitais/saciedigpv/11/capa11.php
http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia/obrasdigitais/saciedigpv/11/tere01.php

9 comentários:

Madalena Barranco disse...

Uma belíssima paisagem como essa pintada em versos e em tela, quando vista de cima, ganha o toque dos anjos que sonham voando sobre marés.

Parabéns, Tere querida, pela sua publicação no Blocos. Vou lá ler os outros poemas.
Beijos, com carinho
Madalena

Renato Torres disse...

Tere,

tintas tuas que revelam mais do que amalgamas, luas e marés, amantíssimas visões da tua poesia. sempre bom te ler...

beijo,

r

Djabal disse...

Acaba de me assaltar um pensamento: o de que o poeta sempre se extravasa. Não se contém em um único ser, aliás, esse único elemente se desdobra em outros. Ventos, ardor, relvas,mar, gotas e ventos alucinantes. É o ser do poeta desdobrado em muitos. Todos belos.
Felicidades, ótimo final de semana. Beijos.

antes blog do que nunca! disse...

É um amor verdadeiro e indizível! Não é?

1 Bj*
Luísa

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Querida Tere
Bravo!
És poeta, e quem melhor que uma poeta e escritora com tua capacidade e dedicação saberia dizer melhor o que disse na poesia?
A vida anda como a natureza e devemos saber conviver tanto com a brisa e a clareza, quanto com as tempestades, a água invesível como com e leve chuva que vem para cumprir sua função de regar.
Beijos
Saudades. estive uns dias fora do Brasil.

daufen bach. disse...

Minha querida Tere!

teu blog é pleno de bom gosto, de conteúdo riquissímo! Parabéns!

Abraço a ti.

daufen bach.

Tere Tavares disse...

Grata meus amigos, pelas vossas leituras e palavras-ornamentos.

Beijo em cada um

Ricardo Mainieri disse...

Uma das praias mais lindas da Paraíba retratada em tela e verso.
E a louvável participação neste projeto da incansável Leila Miccolis.
Parabéns pela conjunção de signos culturais na constelação da Beleza.

Abração.

Ricardo Mainieri

PS - obrigado pelas visitas e pelo voto no Livro da Tribo.

Tere Tavares disse...

Ricardo,
O voto foi merecidamente dado. Espero que alcance o lugar também.